Temática

O evento será realizado nos dias 16, 17 e 18 • JULHO 2019

Consolidado como o melhor evento de nutrição de suínos do Brasil, o Simpósio Mineiro de Suinocultura chega a sua sétima edição, oferecendo simultaneamente a IV Conferência Internacional de Suinocultura. O tema central será “Nutrição de Suínos: Quais as novas fronteiras?” e já está confirmada a vinda de importantes palestrantes da área, nesta edição serão três dias de eventos, onde iremos discutir os assuntos:

               O aumento da prolificidade das fêmeas suínas tem sido um fato marcante na cadeia suinícola, alcançado principalmente por meio do melhoramento genético e dos avanços nas biotécnicas reprodutivas nas últimas décadas. Como principais consequências, têm-se o aumento da variação do peso dos leitões ao nascimento, com maior proporção de leitões nascidos com baixo peso dentro das leitegadas. Estes leitões apresentam maior propensão à mortalidade pós-natal, menor viabilidade e pior desempenho produtivo até o abate. Estratégias nutricionais para fêmeas em reprodução podem minimizar esses problemas contribuindo para a parição de leitegadas numerosas, vigorosas e uniformes que potencialmente resultam em menor variabilidade ao longo do ciclo de produção.

               Esta temática tem sido discutida e estudada pelos principais nutricionistas e pesquisadores da suinocultura e será debatido em nosso evento.

               A restrição do uso dos antibióticos promotores de crescimento na produção suinícola tem sido cada vez mais realidade no mundo. A necessidade de diminuir o uso destes fármacos está intimamente relacionada com a perda dos seus efeitos antimicrobianos devido ao surgimento de bactérias resistentes, podendo ser um risco à saúde animal e também dos seres humanos. Dado este cenário, novas soluções nutricionais estão surgindo como alternativas para garantir desempenho, bem-estar e saúde para os animais. Através desta demanda o SIMIS trará profissionais com palestras em cima desta temática que se faz tão importante para a  suinocultura atual.

               O peso da comercialização do suíno tem aumentado mundialmente nas últimas décadas, impulsionado pela diluição do custo fixo de produção. A resistência a elevação do peso de abate nas indústrias, deve-se à impressão de que ocorrerá aumento na quantidade de gordura e perda da eficiência alimentar. Entretanto, o aumento do peso de abate em suínos pode apresentar pouco efeito na qualidade de carcaça, carne e desempenho, principalmente nas linhagens de suínos selecionadas para elevados ganhos em carne magra.

               Além disso, o aumento do peso de abate dos suínos faz com que os custos fixos de produção, abate e processamento da carcaça sejam distribuídos em uma maior quantidade de carne produzida resultando em uma diminuição dos custos. Porém, o aumento do peso e do tamanho dos suínos cria novos desafios que devem ser estudados e debatidos para total esclarecimento desta temática.